O joelho nos esportes de aventura

17/05/2011

Adriano Leonardi

RESUMO

Neste artigo são apresentados aspectos referentes aos efeitos da prática de diferentes esportes de aventura nas articulações dos joelhos e algumas orientações para prevenir lesões

Palavras-chave: esportes de aventura, joelhos, lesões

Ver o texto completo

Anúncios

Lesões no Montanhismo

17/05/2011

Adriano Leonardi

RESUMO

Este artigo apresenta  lesões ortopédicas que ocorrem com escaladores e montanhistas e formas de previnir-se.

Palavras-chave: lesões, montanhismo.

Ver o artigo completo


A influência da fadiga no tempo de reação de praticantes de escalada em rocha

13/07/2009

Andrey Portela

RESUMO:

A escalada em rocha é um esporte que vem se desenvolvendo e tornandose cada vez mais popular no Brasil. O esporte é considerado por natureza perigoso onde, o risco está sempre presente e acidentes não são raros, sendo que muitos deles podem levar à morte exigindo atenção e cuidado de seus praticantes. Este estudo teve como objetivo avaliar o Tempo de Reação com estímulo visual simples, estímulo auditivo simples e de discriminação (Visual ou auditivo) de atletas de escalada em rocha considerando o nível de fadiga e a experiência no esporte. Trata-se de uma pesquisa de campo, de natureza descritiva diagnóstica (RUDIO, 1986), sendo realizado com escaladores de rocha da grande Florianópolis, investigando praticantes do sexo masculino sem restrição a idade e ao tempo de prática neste esporte. A amostra foi escolhida através do processo de seleção não probabilística intencional, participando da pesquisa 20 atletas, no período entre junho e julho de 2005. Para a coleta dos dados foi utilizado um software de avaliação do tempo de reação (ANDRADE et al., 2002), um questionário para caracterização dos escaladores, inventário de ansiedade estado – IDATE (SPIELBERGER et al., 1979), a escala RPE de Borg (BORG, 2000) e uma parede artificial de escalada em rocha. A estatística descritiva foi utilizada para o tratamento dos dados. A média do tempo de reação dos escaladores para os estímulos visuais, auditivos e de discriminação, que é de 315 (±48,03) ms, 304 (±52,22) ms e 347 (±49,45) ms respectivamente. Conclui-se que a influência da fadiga no tempo de reação é negativa e significativa para o desempenho dos escaladores, comprovando-se que quanto maior o esforço, maior a influência; Os diferentes níveis de experiência dos atletas nesta modalidade não foram um fator de interferência positiva no desempenho do tempo de reação.

Palavras-chave: escalada em rocha; tempo de reação; fadiga

Veja o trabalho completo aqui