Levantamento da escorpiofauna do Parque Nacional da Serra das Confusões, Piauí

01/12/2011

Irisletiere Viana de Brito,  Leonardo Sousa Carvalho

RESUMO:

O presente trabalho objetiva caracterizar a fauna de escorpiões (Arachnida, Scorpiones) do Parque Nacional da Serra das Confusões, analisando sua distribuição nos distintos ambientes da área de estudo.

Palavras chaves: escorpiões, serra das Confusões

Ver o texto completo

 


Processos erosivos da trilha Noroeste – Parque Estadual Pico do Marumbi

01/12/2011

Everton Passos, Ednilson Feola

RESUMO:

A presente pesquisa tem como objetivos identificar e analisar a inter-relação entre alguns indicadores do meio físico e os processos erosivos mais atuantes em um segmento da trilha Noroeste no Parque Estadual Pico do Marumbi, localizado no município de Morretes – PR. A pesquisa constitui-se em realizar o levantamento de campo de indicadores do meio físico que são compostos por alguns elementos da paisagem e alguns experimentos. Dentre os elementos da paisagem verificaram-se declividade, a área da seção transversal da trilha, coletas de solo (propriedades físicas do solo) e índice de cobertura vegetal. No que diz respeito aos experimentos, foram quantificados o índice de pluviosidade, o escoamento superficial e sedimentação, a erosão por salpicamento, a taxa de infiltração, a estimativa de perda de solo e a compactação do solo. A utilização desses indicadores, não segue apenas um procedimento metodológico, mas sim adaptações de diferentes procedimentos,. A utilização de diferentes procedimentos metodológicos demonstrou-se satisfatória, pois, por meio dos indicadores do meio físico propostos, verificou-se a real atuação dos processos erosivos junto à trilha, sendo que os indicadores foram preponderantes à análise. Conclui-se que a concentração de fluxo hídrico na trilha e a declividade são as principais causas da erosão, que podem ser amenizadas com algumas medidas de manejo, entre elas a dissipação do volume da enxurrada canalizada no interior da trilha, através da construção de pequenos canais e terraços ao longo de sua extensão, e a cobertura do solo exposto da trilha com serrapilheira, que favorecerá algumas propriedades físicas do solo, obtendo-se logo menor degradação.

Palavras chaves: erosão do solo, trilha de montanha, indicadores do meio físico.

Ver o texto completo


Aspectos metodológicos aplicados à Geoconservação no Rio de Janeiro

01/12/2011

Kátia Leite Mansur e Ismar de Souza Carvalho

RESUMO:

Desde 2000 o Estado do Rio de Janeiro vem discutindo a geoconservação do seu patrimônio geológico. Naquele ano foi lançado o Projeto Caminhos Geológicos com o objetivo principal de popularizar a geologia por meio da divulgação da origem e evolução dos monumentos, especialmente daqueles com visitação turística. Em 10 anos o projeto evoluiu com ênfase na aplicação de ações educativas, onde a geoconservação passou a ser sua principal finalidade. Ao longo dos anos, buscou-se atuar segundo uma estratégia baseada, principalmente, na premissa de que o reconhecimento da importância do  patrimônio geológico pela população era o melhor caminho para sua proteção. Assim, foi fortalecida a atuação junto a museus e centros de ciência, bem como na participação em atividades e eventos abertos à população, como as reuniões anuais da SBPC – Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência e a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. Atualmente, o inventário do Patrimônio Geológico estadual está em implantação, acoplado a um banco de dados com sistema automático para quantificação. Existe um programa educativo em andamento com envolvimento de escolas, ONGs, entidades públicas e privadas, em áreas protegidas ou não. A divulgação do patrimônio geológico de importância científica, didática, cultural, ecológica e turística tem ocorrido por meio de quase uma centena de painéis interpretativos implantados. Também, têm sido elaborados estudos técnicos para auxiliar na delimitação de áreas a serem preservadas. Após 10 anos, conclui-se que os projetos educacionais têm sido fundamentais para arregimentar apoio à geoconservação. Eles também têm ajudado a complementar o nível de conhecimento sobre geologia do estudante no ensino formal, que é considerado insuficiente no Brasil. Com o projeto consolidado junto à população, instituições públicas e privadas, ONGs e comunidade científica, foi possível estabelecer as bases metodológicas para sua evolução a um novo patamar, agora como indutor de políticas públicas para o desenvolvimento local: estão em andamento três estudos para formalização de indicações de Geoparques à UNESCO.

Palavras-chave: geoconservação, Rio de Janeiro

Ver o texto completo